--- Prêmio Angelo Agostini ---

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

O que ando lendo atualmente:

Meus últimos investimentos direto da banca de revista:


Super Interessante - série grandes mistérios
AS MAIORES CONSPIRAÇÕES.
Se você é desses que finca um pé atrás sempre quando se diz respeito a (verdadeira) história da humanidade, prepara a cachola que essa edição especial da Super tá caprichada. Fahrenheit 9/11, a fuga de Hitler, o homem na lua, eram os deuses astronautas, Princesa Diana, John Kennedy, origem do vírus da Aids... São tantas informações, pitacos, absurdos, teses e teorias cabulosas que, se tudo o que vivemos até hoje realmente foi na base da mentira, a conclusão final, que poderia ser dada por qualquer extraterrestre de pequeno porte, é clara e coerente: O ser humano, além de ordinário e sanguinário, não passa de um dos bichos mais FAKES desse universo. E só. Quanto: R$ 29,90 (a edição vem com a revista Super Guia definitivo dos Dinossauros em um mesmo pacote).

Super Interessante - Guia definitivo dos DINOSSAUROS.
Já li e reli muita coisa sobre dinossauros, mas essa edição especial da Super tá foda. De início, como tantas matérias sobre dinossauros, a primeira coisa a ser mostrada, por lei, é o período (Era Mesozóica) em que esses bichos aloprados viveram: Jurássico, Triássico, Cretáceo. Depois vêm as espécies, as medidas, as curiosidades e os tamanhos. Se até aqui tá tudo com cara de "mais uma revista qualquer sobre dinos", prepare-se que o diferencial paga o sacrifício: 1) É realmente possível evitar que outro asteroide assassino trombe com a Terra? 2) E se os dinossauros tivessem evoluído? 3) Como é a vida dos caçadores de fósseis? 4)Por que ainda é tão complicado clonar um dinossauro? E aí? Vai encarar? Quanto: Confira preço anterior!

Mundo NERD - Nº 5
A quinta edição da divertida revista de cultura pop trás os bastidores da maior série animada de todos os tempos. Homer, Bart, Lisa e cia destrinchados sem pena em 12 páginas com curiosidades, segredos, criações e divertimento ao longo dos 25 anos de sucesso. Você sabia, por exemplo, que um dublador dos Simpsons pode ganhar em média 300 mil dólares por episódio? Yes! Eu falei episódio. Mas a Mundo Nerd tem muito mais.
Tem também um matéria nostálgica sobre o filme Os Goonies, tem um dossiê sobre os quadrinhos Sin City (Frank Miller), tem os 10 psicopatas mais psicopatas do cinema, tem um perfil do estúdio The Asylum (especialista em filmes trashes) e muito mais...
Quanto: R$ 11,90.

terça-feira, 25 de novembro de 2014

Amor ao próximo!

Com uma pequena participação do Zé de Aurim!

Ao cearense mais bruto de todos os tempos!


Mundo Jurássico à vista!

Saiu o Trailer do filme que vai dar a volta por cima na série Jurassic Park.
Mundo Jurássico se passa 20 anos depois da primeira trilogia e,
ao que tudo indica, a realização de um parque de diversões com dinossauros,
sim, acabou dando certo.
De princípio, tudo é lindo, mágico e fofinho como na Disney,
mas daí... bom. É lógico que algo tem que dar errado, caso contrário,
Juntar dinossauros com seres humanos sem caos, correria e desespero é
que nem assistir a esses documentários sobre vida selvagem que rola
nos programas Fantásticos da vida.
Uma catástrofe!


A ciência do amanhã...


Existem dias...


segunda-feira, 24 de novembro de 2014

DOSSIÊ ZÉ DE AURIM - Parte 2!!

Com vocês, o Zé de Aurim original!!
("Panelada boa só presta se
tiver com cheiro de biquini usado!!")
 A LENDA VIDA
          Zé de Aurim só não é um personagem 100% FAKE porque é baseado em um amigo de infância que não fica devendo aos quadrinhos.
"José de Aurim Monteiro de alguma coisa...", como ele mesmo define, é um camarada humilde, despojado, boêmio e folgado nas horas mais inusitadas, como tantos outros que nasceram no Parque Manibura, bairro semi-ecológico da parte sudeste de Fortaleza. Pois bem! Zé de Aurim é desses que a galera adota simplesmente como o "mascote da turma" só por conta do seu lado irônico e nem um pouco preocupado com as injustiças do mundo! Se tiver o que beber, ele bebe. Se tiver como dançar, ele dança. Aliás, Aurim não tem tempo pra se preocupar, só pra frescar. E frescar muito é seu maior divertimento.
        A primeira vez que o retratei foi por pura desopilação em uma das páginas do Jornal O POVO. O ano era 2002. De imediato, O Parque Manibura inteiro vibrou e daí pra conquistar a cidade foi um pulo. Zé de Aurim ao poucos se tornou capa de vários fanzines, assuntos em universidades, celebridade fashion, xodó de muitas gatas e um incrível ícone da literatura bagaceira, como ficou 100% registrado em uma entrevista em 2004 para a antiga Revista Singular, do jornalista Eliezer Rodrigues.
          Pergunte numa esquina qualquer da capital de Fortaleza/CE quem
é o Zé de Aurim e o mínimo que te contarão é alguma presepada que
ele aprontou nos quadrinhos do Jornal O POVO ou na até vida real.
Pode ser nas baladas, no estádio, no Mercado Central ou ali pelo
Parque Manibura, bairro onde ele viveu toda a infância ao lado
do Guabiras e de outros moleques.
Uma história real: Quando o Luís Henrique nasceu, a galera inteira do bairro
foi visitar o rebento do Guabiras, e no meio da fuzarca estava o Zé de Aurim.
Quando a sogra do cartunista viu a figura, imediatamente soltou.
— Arriégua! Eu já vi tudo que é marmota daquele Parque Manibura,
mas esse daí bateu o recorde.
O que o Zé de Aurim respondeu?
— E a senhora? Tira essa máscara, monstrinho!!!
Além disso, ele foi o último a ir embora, mijou nas plantas da sogra
e ainda levou feijoada pra casa. KKK...
Zé de Aurim já foi interpretado em
muitos fanzines. De 2004 a 2014.


Aurim é TOP em tudo! Aurim é único! Aurim é fuoda!
         Porém, o verdadeiro motivo destas mal traçadas tem haver primeiro com a minha integridade. Tudo porque ultimamente
de Aurim tem sido motivo de várias especulações do tipo:
— Nossa! Ele tem algum parentesco com o Predador do
Schwarzenegger?
— Ele é o "Drak" do filme "Inimigo Meu"?
— Verdade que ele é uma cópia decadente do Carlito Tevez?
— Você se inspirou no site Mundo Canibal?
Mundo Canibal? KKK...
Então, aqui estou, apresentando mais profundamente este nobre indivíduo... Zé de Aurim realmente existe, isso é fato! Já bebeu todas, já azucrinou muitas gatinhas, peitou autoridades, derrubou governos, implantou a ditadura da cachaça, vomitou no trem, mijou na praia, ENFIM, fez o diabo na Copa desse mundo e do mundo da Lua. Para o Guabiras ele é melhor do que Mickey Mouse indo e voltando.
Zé de Aurim feito de massinha de modelar
em 2008
Aliás, na última vez em que me encontrei com o próprio Zé de Aurim (após uma insistente brecha em sua apertada agenda)
perguntei o que ele achava dessa especulação toda:
Resposta do mesmo:
— Foda-se! Zé de Aurim não chupa,
Zé de Aurim só escarra que nem o Bob Cuspe!

E o resto é lenda!
Uma das primeiras tirinhas do Zé de Aurim
publicada no Jornal O POVO

Luís e Lívia URGENTE!


Cartum!


Som na Caixa - 003

Asher D & Daddy Freddy são os principais responsáveis pela popularização
do termo Raggamuffin no Brasil. Uma mistura do ragga, ritmo da Jamaica,
com a batidas do rap de NY (leia-se ragamãrfim). Mais ou menos algo que
as Rihannas e as Jennifers Lopes da vida andam fazendo.

Só que era 1987 quando o lado americano ainda endurecia o casco. Mas nem
por isso AD & DF deixaram de criar o maior clássico da dupla, sucesso esse que leva o mesmo
nome do disco. Pelo contrário, Raggamuffin Hip-Hop estourou pelo país inteiro, ainda
mais quando coisas como Run DMC, Beastie Boys e Mantronix caiam por aqui de paraquedas.
Se você tem mais de 30 anos, com certeza já ouviu essa faixa em alguma rádio na época,
porém com um apelido mais exótico:  “Melô da Macumba 4”.

Enfim. Além dela,”Brutality”, “Don't Stop, Do It” e a excelentíssima “Posse Rock e More”
eram indispensáveis nos bailes funks dos anos 1980 e 1990. Essa última, tem o triplo
de velocidade de qualquer coisa já criada pelo Eminem. Rap velocidade dos bons!

Aliás. O próprio Eminem deve ter ouvido muito Asher D & Daddy Freddy antes mesmo
de pensar em cantar rap. Mas faz parte.Afinal, na impressionante história do HIP HOP,
quem teve juízo sempre copiou os bons. Experimente!

BAIXE AQUI


















Outros artistas que se inspiraram em Asher D & Daddy Freddy:


DJ Shadow - 3 freaks
ano: 1996
O mestre dos mestres dos DJs vez por outra
empresta seus macetes para construir mais um
rap e salvar a humanidade. E alguns deles
não tem como negar o parentesco.
PRÉVIA: migre.me/k5Hlp


 Missy Elliot - Work It
ano: 2002
A musa do HIP HOP nos anos 2000 também
tem várias firulinhas que remetem a Asher D &
Daddy Freddy. E nem precisa prestar tanta atenção.

PRÉVIA: migre.me/k5He8


Pequeno Manual do Ser Humano Retardado - parte 01




Sertanejo!

Me pediram um cidadão sertanejo pra ilustrar uma crônica no Jornal O POVO.

Fiz duas propostas e a escolhida foi a segunda (publicada em 23/11 no Caderno Dom).


O pequeno Jhown William Rói Rói!


terça-feira, 18 de novembro de 2014

Pra encher o copo!



Conselho da mestre!

"Não tenham juízo e não se comportem. 
Mas se cuidem!"

Visita de Elke Maravilha ao Jornal O POVO nesta manhã (18/11).

Pipoca murcha!

Alguns filmes que assisti nos últimos dias...

Guardiões da Galáxia 
Esse foi o primeiro filme da Marvel que assisti sem nunca ter lido sequer um quadrinho original. Mesmo assim, observando pelo lado bom do enredo, deu pra entender perfeitamente alguma coisa a cerca da história e dos personagens. Enquanto que apenas um é ser humano, todos os outros são espécies alienígenas que vão aparecendo conforme a trama se desenrola. Rápida, colorida, e cheia de detalhes. É claro que as melhores cenas são do guaxinim e do bicho-árvore (50% comédias, 50% porrada), mas nada como presenciar o soberano e antipático Thanos (esse eu conheço das antigas) dando ordens do seu trono.Garantia de boas risadas, Guardiões da Galáxia é aquele tipo de desopilação agradável que termina e a gente fica rezando pra que chegue logo a continuação.
>> Trailer (Bom, e tem muito mais no filme!)

Hércules
O mal desses filmes épicos é que eles não se conformam numa única coisinha: é-praticamente-impossível-outro-filme-superar-Gladiador-ou-Troia-em-seu-alto-nível-de-beleza-e-maestria. Então o que eles fazem? Entopem as produções de efeitos especiais e atores razoáveis. Dwayne Johnson, meu amigo! Dão dá pra assistir você empunhando um espada de shortinho (Conan, Conan, Conan...) depois de já ter trocado porrada duas vezes com Vin Diesel em Velozes e Furiosos, né?. Outra. Que porra de leão era aquele que você matou? Quando vivo, dava pra abocanhar você inteiro. Depois de morto, a cabeça diminui e fica com cara de urso de camelô (ou galego, na língua cearense.). Sinceramente, Hércules serviu unicamente pra uma única coisa em minha frustrada carreira de "cinéfilo blockbuster". Entrar na lista daqueles filmes que retiro do aparelho de DVD antes mesmo de ele acabar.
>> Trailer (Mentiroso! Algumas cenas são apenas aquilo mesmo!)

Planeta dos Macacos - O Confronto
O filme anterior é foda. Desde a trama e os efeitos especiais até as cenas pós-créditos. Mas dez anos depois, com a multiplicação da macacada, a coisa não ficou tão fácil assim. Os humanos que restaram precisam puxar energia elétrica de uma represa, mas ela estar justamente onde César montou a colônia. Macacos caçam, pescam, discutem e dão aulas pros macaquinhos. O que fazer? Entre acordos e desconfianças, Koba (aquele macaco deformado que espalhou o vírus no primeiro filme) arma um motim e daí a putaria começa realmente pra valer. Apesar de ter muitas cenas chocantes pelo meio, dessa vez o pós-crédito foi excluído e, por isso, o filme acaba com aquela cara de que "encerrou duma vez". O Confronto é "quase um excelente filme", mas o desfecho dessa pendenga toda, infelizmente, só será mostrado numa terceira parte.
>> Trailer (Irado! Mais o filme é mais irado ainda!)

 Sin City - A dama fatal
Quando o primeiro Sin City saiu tudo era novidade. Os macetes, as luzes, os efeitos, as sombras...  Se você assistir, vai se encantar! Mas essa parte dois é um desastre. A começar pela trama, que teve o tremendo azar de perder dois bons atores como Michael Clarke Duncan e Britanny Murphy  (eles morreram!) quando o filme ainda penava no papel. Foda! Depois foi a saída de Devon Aoki (substituída erradamente!), que também era foda como a personagem Miho! Impacto grande? Muitooooo... Mas se você assistir esse Sin City - A dama fatal talvez nem note tamanha diferença. Mas eu aviso logo: 1) as melhores histórias dos quadrinhos já foram usadas no primeiro filme. 2) algumas cenas (e até personagens inteiros) dessa continuação foram injustamente deixadas apenas nos quadrinhos. Resumindo: Nunca esperei tanto por um filme (foram quase 10 anos) simplesmente pra dizer "Mas que porcaria!!!".
>> Trailer (Dá pra se contentar apenas com ele e esquecer o filme!)


Transformers - A Era da Extinção
Quatro filmes de Decepticons e Autobots depois, se me perguntarem atualmente "como eles surgiram", "por que brigam" e "o que faz eles ficarem vivos", respondo sinceramente que " nem sei mais..." KKK... No primeiro filme a razão da guerra era um cubo. No segundo era um cristal que já existia por aqui há milhares de anos. No terceiro era uma conspiração que envolvia o homem na Lua e a Usina de Chernobyl... Égua! Até aí um enredo cobria o outro e a gente ia engolindo calado pelo único propósito de "respeitar esses personagens que só ficam mais fodásticos ao longo dos anos". Mas daí veio essa bomba com dinossauros-robôs, um governo que recria Transformers em laboratório mapeando o genoma deles (?) e uma explosão infinita de propagandas como se o filme fosse uma enorme revista de passarela (eu falei passarela, porra!). Sinceramente, só existe uma única definição quando acaba esse Transformers - A Era da Extinção. Aquela de que, por muitos e muitos anos, você foi redondamente enganado. Puro e simplesmente.
>> Trailer (É exatamente isso que tô falando... só que sem os anúncios!)

Infográfico jornal O POVO

Dicas de segurança em condomínios!
Infográfico feito em parceria com Pedro Turano
publicado no Jornal O POVO em julho/2014.


quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Revista MAD - parte 005

Geisy Arruda forever!
Desta vez o ano faz parte da arte: 2009.
Isso porque o Editor Raphael Fernandes convidou
vários artistas pra retratar uma retrospectiva daquele ano.

Fiquei com a polêmica moça do vestido rosa e fiz uma página
como se ela fosse o produto da vez. Muito singelo.

Revista MAD - parte 004

E se os Predadores atacassem no Brasil?
Fiz duas páginas pra Revista MAD brasileira com várias utilidades
pra cada arma desse alienígena-caçador.

Revista MAD - parte 003

E se o Avatar invadisse o Brasil?
Duas páginas com essas dicas que também foram publicadas na Revista MAD brasileira.

Revista MAD - parte 002

Duas páginas que também foram publicadas na Revista MAD brasileira.
Aqui elas dão dicas do que fazer com aquele resto de álcool gel
que sobrou quando a moda da gripe suína passou.
Também não lembro a data nem a edição.


Revista MAD - parte 001

Já tive o privilégio de contribuir pra alguns números da Revista MAD brasileira.
Primeira quando o editor ainda era o OTA, depois com Raphael Fernandes.
Mexendo nos arquivos achei essas 3 páginas. Não me lembro a edição, mas sei que saiu
em 2010, mais ou menos...
Enfim, são produtos de uma rede de supermercado baseados em filmes de ficção científica.
Aceita até cartão de crédito.